sábado, 20 de Setembro de 2014

Um bolo para o Verão mas também para o Outono

Quase sem dar por isso, tenho me despedido dos piqueniques de Verão (do Verão a sério) num sítio que me é muito especial. Encaixado na Serra da Arada, existe um lugar repleto de trilhos pedestres, moinhos, riachos e pequenos lagos habitados por rãs destemidas. Um lugar que convida a estender a toalha de piqueniques e a degustar belos petiscos em boa companhia. Para esta despedida, que serviu também para acolher um outono antecipado, decidi preparar uma bolo especial com as amoras apanhadas no meu campo, uma espécie de Clafoutis de Amora de Morangos



Ingredientes para a massa
100gr de margarina
50gr de açúcar
1 iogurte natural
2 ovos
100gr de farinha
1/2 colher de café de fermento em pó
3 morangos grandes cortados em pedaços pequenos

1 iogurte natural
100gr de amoras
3 colheres de açúcar 

Batemos a margarina com o açúcar até obtermos uma mistura cremosa. Adicionamos os ovos e o iogurte natural. Depois de bem misturados os ingredientes, juntamos a farinha e o fermento e os morangos. Colocamos a mistura numa forma untada e reservamos.

Esmagamos grosseiramente as amoras com o iogurte. Juntamos o açúcar. Depois de tudo bem misturado, vertemos esta mistura por cima da anterior e com uma faca fazemos pequenos cortes na massa de forma a que o preparado das amoras se encorporemas não de maneira uniforme. Levamos ao forno, previamente pré-aquecido a 160ºC, durante 45 minutos.



terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Bolo de Limão

Durante a pausa de Agosto, quem esteve verdadeiramente de férias foi a minha cozinha. Entre o experimentar da gastronomia londrina e a degustação de pestiscos na Zambujeira do Mar, não houve tempo para dar uso aos meus tachos, às minhs formas, ao meu fogão. Não vou dizer que não senti falta. Estaria a mentir. Principalmente, depois das inspirações apreendidas em terras de sua majestade. A vontade de voltar a fazer experiências é ainda maior. Durante as férias, só houve tempo para este bolo limão. Simples e que convenceu adultos e crianças.

Ingredientes
80g farinha
2 c. chá fermento
1 pitada de sal
250g iogurte natural
150g + 60g açúcar
3 ovos grandes
2 c. chá de raspa de limão
100ml óleo
80ml sumo de limão

Ligarmos o forno a 180ºC. Numa taça, peneiramos a farinha e juntamos o fermento e o sal. Noutra taça misturamos o iogurte, 150gr de açúcar, os ovos e a raspa do limão. Adicionamos os ingredientes secos ao preparado anterior. Juntamos o óleo. Deitamos a massa numa forma, previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha. Levamos ao forno durante 50 minutos.

Calda

Levamos ao lume o sumo de limão e o restante açúcar até este se dissolver. Regamos o bolo com esta calda assim que sair do forno.

domingo, 7 de Setembro de 2014

Fins-de-semana surpresa

Existem fins-de-semana assim. Todos os planos vão ao ar ainda a semana vai a meio. Imaginam-se novos planos que teimam em não se concretizar. E quando se desiste de planear, as cores, os cheiros, uma alegria singela decidem invadir o fim-de-semana.










quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

A vender chá desde 1707

Desde pequenina que não posso viver sem uma bela caneca de chá. Os melhores serões eram aqueles em que se acendia a lareira e ficávamos em família a ver o crepitar do fogo enquanto degustávamos uma caneca de chá e uma bela história sobre antepassados. Claro que na viagem até Londres eu tinha mesmo de visitar a loja mais antiga que comercializa esta bela iguaria no Reino Unido. Mas a visita em si, superou todas as expectativas. Para além de chás de diferentes países e de diferentes sabores e de diversas misturas, a loja da Fortnum and Mason em Piccadilly é todo um mundo repleto de delicias irresistíveis.







domingo, 31 de Agosto de 2014

Os cheiros e sabores de Londres

Há um mês atrás embarcava numa viagem de sonho. Londres sempre foi sempre um destino de sonho para mim. Pelo barulho, pelo movimento  frenético das multidões multiculturais, do metro apinhado, da confluência explosiva de sabores, cheiros e cores ...ou seja, por toda uma realidade bastante diferente da minha vida quotidiana. Adoro o meu dia-a-dia, vivênciado numa cidade calma. Mas tenho pavor a acomodar-me. Às vezes é necessário sorver uns choques culturais, para sentirmos que as nossas escolhas têm um propósito, para sentirmos que tudo o que está para trás faz sentido. Para além dos locais turísticos que queria conhecer desde pequena, a minha viagem focou-se nos sabores e cheiros que eu pretendia conhecer. A lista era grande e o tempo curto, mas valeu a pena todos os quilómetros percorridos. 












sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Alimentar a alma

Desde que me conheço que sinto o bichinho das viagens, de explorar novos lugares, de me embrenhar nas sensações proporcionadas por diferentes realidades, saberes, cheiros e culturas. Herança dos meus pais que embora sem posses para aviões ou destinos além fronteiras, deram-me a conhecer Portugal de Norte a Sul, de Este a Oeste, desde tenra idade.Só recentemente é que ganhei asas e encetei a descoberta das capitais dos países da Europa. Adoro este continente antigo, onde a tradição se mistura com a modernidade, onde as diferentes culturas cohabitam de forma harmoniosa. Sinto me sempre mais crescida cada vez que piso solo estranho, ou que sou forçada a falar um língua diferente, ou que sou forçada a experimentar comidas que não me são familiares. Talvez, viajar seja o melhor método para alimentar a alma de boas sensações.








domingo, 18 de Maio de 2014

Happy World Baking Day'14

Quem passa regularmente por este Reservatório de Sensações sabe como eu adoro boas desculpas para ligar o forno e confecionar mimos para toda a família. O World Baking Day que se celebrou hoje, incentivou-me a experimentar aquela receita que há muito queria tentar, mas que estava sempre a adiar, nem sei bem porquê. A receita encontrei-a no meu livro de receitas favorito, "Bolos para a Família", de Sarah Randell. Um livro delicioso, desde as propostas de receitas, até às fotografias que são lindas. Sempre tive a ideia de que fazer cheesecake era muito complicado, mas esta receita de Cheesecake de Abóbora é muito simples e prática. Adicionei-lhe algumas alterações, relacionadas com a escolha de ingredientes e com a não utilização de alguns condimentos com os quais não me dou muito bem. Ainda faltam umas horitas para terminar o World Baking Day, portanto, podem ligar o forno e confeccionar uns miminhos, seja em formato de bolo, de queques ou de tartes.



Ingredientes
100gr de manteiga (derretida)
125gr de bolacha Maria
200gr de queijo creme
100gr de requeijão light
200gr de puré de abóbora (utilizei abóbora hokkaido, produção biológica Bynatura)
100gr de açúcar branco refinado
2 ovos tamanho médio, ligeiramente batidos
1 colher de chá de canela

 
Aquecemos previamente o forno à temperatura de 150ºC. Preparamos a base com a bolacha. Derretemos a manteiga numa caçarola pequena e deixamos arrefecer ligeiramente. Trituramos a bolacha numa picadora. Acrescentamos toda a manteiga derretida e misturamos. Distribuimos a massa pela forma e comprimimos firmemente com a superfície bojuda de uma colher de sopa. Colocamos o queijo-creme, o requeijão, o puré da abóbora (o puré deve ser feito de vespéra ou de forma a que arrefeça completamente), o açúcar na tigela de uma misturadora eléctrica. Batemos até obtermos uma massa ligada e macia. Deitamos esta mistura na forma. Levamos ao forno durante cerca de 25 minutos.. Deixamos arrefecer completamente.


quinta-feira, 1 de Maio de 2014

Um pão que lembra o campo

Já faziam falta os dias quentes, a antecipar o Verão, a convidar para deitar mãos à terra. Aproveitando o feriado, plantei uma quantidade doida de girassóis. Não é a melhor altura para os semear, mas como o tempo tem sido pouco, tive mesmo de aproveitar o dia de hoje. E como é bom mexer na terra, dar-lhe mimo e gerar nela algo. Mesmo que isso exija muito trabalho. Mas todo o trabalho recompensa. O meu teve como recompensa um almoço piquenique, com uma das iguarias que mais aprecio: Polvo à Lagareiro. Claro que toda esta inspiração campestre e rural, acabou por me guiar até à cozinha e a confeccionar um pão que lembra a natureza e os lanches de grupo depois de horas de trabalho no campo: Pão de Oregãos e Azeite.


Ingredientes
500gr de farinha de trigo
1 pacote de levedura
300 ml de água morna
1 pitada de flor de sal
1 colher de sopa de oregãos
30ml de azeite



Peneiramos a farinha para dentro de uma taça grande. Juntamos a levedura, a flor de sal e os oregãos. Misturamos e amassamos tudo com água morna e o azeite, até a massa ficar uniforme e ganhar alguma elasticidade. Deixamos levedar durante quarenta minutos. Após os quarenta minutos, sovamos a massa  e colocamo-la numa forma untada com azeite. Deixamos levedar em sítio quente mais trinta minutos. Levamos ao forno, previamente aquecido a 160ºC durante cerca de trinta minutos. No fundo do forno devemos colocar uma forma com água.


domingo, 6 de Abril de 2014

Um gosto especial

Adoro planear rotas. Pensar e idealizar qual será o passeio do próximo fim-de-semana, semana ou mês. Gosto de imaginar que estou sempre em transito, entre a minha casa, o meu lar, que não troco por nada deste mundo, e um qualquer sítio ou zona que me permita conhecer novas pessoas, novos lugares, novas culturas, novas surpresas. Talvez seja uma forma de contrariar algo que me irrita profundamente, a rotina amorfa que muitas vezes, com o correr dos dias, deixamos que se instale na nossa vida.

O último passeio teve como desculpa inicial a visita a alguns castelos que pertencem à Rota dos Castelos de Fronteira. Mas a verdade é que houve muito mais neste périplo. Castelo Rodrigo, que desconhecia por completo, conquistou-me com a sua beleza simples, com as gentes simpáticas que de forma espontânea me contaram segredos, sabedorias e curiosidades da terra. 

Assim que se avista ao longe esta aleidas histórica, nunca mais se perde da vista. O tom ocre dá uma uniformidade à paisagem, criando a ilusão de que no cimo do monte existe apenas um grande edifício e não um conjunto de diversas habitações. Quando se aporta nesta aldeia, respira-se tranquilidade e o tempo passa lentamente, impregnando a alma de uma sensação doce.Privilegios nem sempre fáceis de encontrar. Uma caminhada por entre o casario é uma experiência relaxante, com vistas panorâmicas fantásticas. Caso passem por estas bandas, fixem estas sugestões: Cisterna, Castelo, Sabores do Castelo e Convento de Santa Maria de Aguiar.







sexta-feira, 4 de Abril de 2014

Receita para gulosos

Se são gulosos como eu têm mesmo de provar esta receita.

Bolo Chiffon de Chocolate


1 e ¾ chávenas de açúcar 
2 chávenas de farinha 
3 colheres de chá de fermento 
½ Chávena de chocolate em pó 
½ chávena de óleo 
¾ de chávena de água quente 6 ovos 

Separamos as gemas das claras. Batemos as claras em castelo e reservamos. Numa taça juntamos as gemas, o açúcar e o óleo. Misturamos tudo com a batedeira eléctrica. Juntamos a farinha e o fermento e batemos. Adicionamos o chocolate dissolvido na água quente. Depois de todos os ingredientes estarem bem incorporados, vamos aos poucos juntando a esta mistura as claras batidas em castelo. Deitamos a massa numa forma untada e levamos ao forno, previamente pré-aquecido a 160ºC, durante cerca de 45 minutos. 

Cobertura 
1 Chávena de leite 
2 colheres de sopa de açúcar 
1 colher de sopa de maizena 
1 colher de sopa de chocolate em pó 
1 colher de sobremesa de Margarina 

Deitam-se todos os ingredientes num recipiente que possa ir ao lume. Sempre em lume brando mexemos até a mistura engrossar. Ter atenção para que a maizena não forme grumos. Assim que esteja pronto, espalhar imediatamente sobre o bolo.